A importância da inteligência preventiva em logística

09/04/2018
Gestão logística

Reduzir e prevenir riscos: este é um dos principais objetivos de todo gestor de logística. Entender quais perigos estão envolvidos em transportes de cargas, a quais deles a empresa está mais exposta e como mitigar ou eliminar tais riscos é uma tarefa que não pode ser baseado em achismos. É preciso mapear e analisar dados referentes às cargas que serão transportadas, rotas utilizadas, frota de veículos, motoristas, segmento de atuação, níveis de periculosidade, entre outros fatores. Um mapeamento e análise de riscos profundos influenciam não apenas na qualidade das operações logísticas, mas também em seus custos – que podem ser significativamente reduzidos com a implementação de estratégias para redução de riscos. 

Uma maneira de se fazer isso de forma eficaz é através da inteligência preventiva, um modelo de gestão de riscos focado, como o nome já diz, na prevenção. Afinal, melhor do que reduzir ou eliminar um risco, evitar que ele aconteça é a melhor opção para o seu negócio. Quer entender mais? Continue a leitura!

O que é inteligência preventiva?

Provavelmente você já ouviu o ditado “É melhor prevenir do que remediar”. Pois saiba que esse ditado é completamente aplicável à logística! Pense na seguinte situação: se as operações logísticas da sua empresa ocorrem sem uma análise dos riscos relacionados ao transporte dos seus produtos, você, provavelmente, enfrentará problemas como perda de cargas por falta de equipamento adequado para transporte, altos custos com apólices de seguros, atraso de entregas, entre outros. Agora, se você dedica um tempo ao mapeamento dos riscos logísticos aos quais seu negócio está exposto, você poderá prevenir muitos desses problemas, reduzindo consideravelmente seus custos. 

É justamente esse o objetivo da inteligência preventiva: uma análise profunda da sua empresa, seu segmento, processos, modelos de operação, ativos tangíveis e intangíveis, capacitação dos profissionais, etc. para um mapeamento completo de riscos e, com base nesses dados, a elaboração de um plano de ação para evitar possíveis problemas nas suas operações logísticas.

O modelo de inteligência preventiva pode contemplar não apenas o mapeamento e o planejamento, mas também a implementação, monitoramento e acompanhamento das ações adotadas pela empresa, assim como seus resultados. Pode parecer um processo complexo e demorado, mas os ganhos para a organização são consideráveis – e é isso que veremos a seguir.

Por que otimizar operações logísticas com inteligência preventiva?

Infelizmente, o transporte de cargas no Brasil é um dos mais perigosos e caros do mundo. Más condições das estradas, altos índices de roubos, falta de regulamentação na precificação de seguros logísticos e combustíveis caros são só alguns dos desafios enfrentados diariamente por profissionais de logística. 

No entanto, grande parte dos sinistros em operações logísticas pode ser solucionada com uma gestão inteligente, estratégica e preventiva de riscos. A implementação de medidas preventivas ajudam a identificar e minimizar perdas ou danos pessoais, materiais e financeiros que podem ocorrer no transporte de cargas. 

Por exemplo: digamos que sua empresa trabalhe com alimentos congelados entregues a domicílio. Ao realizar um trabalho de inteligência preventiva, é possível que seja identificado o fato de que alguns clientes moram em prédios e não estarão em casa no momento da entrega, fazendo com que o produto seja entregue à portaria e o alimento congelado só seja entregue ao destinatário após muitas horas sem refrigeração. Com isso em mente, você poderá optar por uma caixa ou embalagem que mantenha o alimento congelado por mais tempo, sem a necessidade da refrigeração, mantendo, assim, a qualidade do produto e evitando perdas.

Outro exemplo da aplicação da inteligência preventiva é a identificação de cargas que são mais visadas em roubos. Ao identificar o risco, a empresa pode adotar medidas como o monitoramento de frota, cada vez mais comum no Brasil, ou então optar por uma rota considerada mais segura. Em casos como esses, é comum também que a empresa consiga negociar com a operadora de seguros logísticos, uma vez que não só identifica os riscos nas operações de transporte, como conta com medidas para evitar sinistros. 

Situações como essas trazem grandes ganhos para as organizações, especialmente no que diz respeito à qualidade dos processos em operações logísticas. Ao identificar e implementar ações para prevenir riscos no transporte de cargas, a empresa trabalha de forma mais eficaz e segura, otimizando processos, garantindo uma entrega dentro do prazo e reduzindo custos.

Precisa de ajuda para identificar riscos logísticos e implementar medidas para evitá-los? A IMC Brasil é especialista no assunto e está pronta para traçar o melhor plano de ação para sua empresa. Fale conosco e saiba mais!